Comida mediterrânea

Receitas mediterrâneas para agradar a paladares gregos e troianos.

Pernil de cordeiro com damascos e tomilho

14 maio, 2010 Carnes, Comida mediterrânea Tags:, , , 8 Comentários

Inspirado em receita do livro Jamie Oliver – O chef sem mistérios
Pernil de cordeiro com damascos e tomilho

O Dr. Emerson, além de médico, ainda cria cordeiro que é uma beleza. Ele me forneceu um belíssimo pernil de cordeiro produzido por ele mesmo e eu experimentei essa receita. Claro que ficou excelente, claro que eu comprei muitos e muitos quilos mais da excelente carne de cordeiro dele. Claro que essa foto já é da segunda vez que fiz, que ficou ainda melhor que a primeira, porque aprendi melhor sobre como assar essa belezura. Claro que você deveria experimentar!

1 pernil de cordeiro, cerca de 1,7kg
1/2 cabeça de alho
1 maço de tomilho, defolhado
suco de 1/2 limão
1 punhado de damascos secos

Azeite extra-virgem

Sal marinho

rende 6 porções

A parte que exige destreza é o preparo do pernil para receber os temperos. É necessário escavar com a faca, ao redor do osso, de um lado, abrindo um túnel; depois, escave ao redor do osso pelo outro lado, tentando fazer com que esse segundo túnel encontre o primeiro. Uma obra digna de qualquer engenheiro civil. Adicionalmente, faça umas 8 perfurações ao longo da carne, nas laterais, e enfie o dedo em cada uma delas para ampliá-las. Não se preocupe, o cordeiro aguenta essa violência.

Soque um punhado de tomilho com um punhado de sal e alguns dentes de alho, num almofariz. Quando virar pasta, acrescente um pouco de azeite e o suco de 1/2 limão. Pique os damascos e misture-os aí também, vai com fé que vai dar tudo certo.

Enfie essa mistura no seu túnel de cordeiro, e nos rombos que você abriu com os dedos. Seja generoso com os damascos, colocando-os nos seus devidos furos. Esfregue o restante por toda a carne, bem como esfregue um bocado de sal nas partes que você achar que ficaram desfavorecidas.

Unte a assadeira com azeite e leve o cordeiro, coberto por papel alumínio, ao forno em temperatura média-alta, tipo 225ºC, por cerca de uma hora, virando após 30 minutos. Ele deve permanecer macio, de modo que a pressão dos seus dedos afunde a carne. Esse é o ponto certo. Claro que é difícil acertar o ponto de primeira. Claro que o ponto da carne é do gosto de cada um. Mas é claro que eu tirei o meu bem-mal-passado… já viu né?

Couscous picante

13 maio, 2010 Acompanhamentos, Comida mediterrânea Tags:, , , , 1 Comentário

Inspirado em receita do livro Jamie Oliver – O chef sem mistérios

Comi junto com Pernil de cordeiro

Eu precisava de um acompanhamento para o pernil de cordeiro, mas é claro que não ia cair no arroz com feijão. Massa, nem pensar. Então fui encontrar um couscous, cuscus, cuscuz ou como você queira escrever, que é um grão lindo, mais fácil de fazer do que eu imaginava, e que casa como ninguém com o cordeiro. Foi inesperadamente interessante.

1 cebola bem picada
1 dentes de alho, picado bem fino
250g de couscous

500ml de caldo de legumes

3 colheres de sopa de manteiga
1 colher de chá de sementes de cominho
1 colher de chá de sementes de coentro
1 colher de chá de sementes de erva-doce
Pimenta chilli seca à gosto
1 folha de louro
1 colher sopa de vinagre de vinho tinto
1 colher sopa de açúcar
Azeite extra-virgem

Sal e pimenta do reino

rende 6 porções

Primeira coisa é por o caldo para ferver. Enquanto isso, aqueça a cebola no azeite morno com uma colher de manteiga, sem deixar dourar. Soque as sementes, a pimenta e uma pitada de sal num almofariz. Adicione-os, juntamente com o alho, à panela, e continue fritando lentamente, até que adquiram uma consistência pastosa. Acrescente o vinagre e o açúcar, que vai queimar e dar uma cara de melaço para a “gororoba” de até então. Depois de alguns minutos melando, acrescente o couscous, misturando bem. Acrescente então o caldo quente e mexa um pouco, deixando cozinhar por cerca de 20 minutos, colocando um pouco mais de água se ela tiver secado totalmente sem que o couscous cozinhe. Não se preocupe ao ver que o couscous vai grudar e parecer aquele arroz unidos-venceremos que é o pesadelo de todos nós.

A seguir vem a mágica: desligue a panela, e acrescente aos poucos o restante da manteiga, com um garfo, passeando com ele por todo o couscous, espalhando a manteiga entre os floquinhos, até que fiquem bem soltinhos. Se deu tudo certo, você vai ter um couscous soltinho, amanteigado, levemente adocicado e com um toque final bem picante. É inevitável que o couscous seja meio gororoba – pelo menos foi inevitável para as minhas tentativas. De qualquer maneira, é um acompanhamento injustiçado, e me senti um cozinheiro solidário nesse dia.

Switch to desktop version