Já fez lasanha em casa? É fácil, gostoso e saudável!

23 junho, 2020 Comida italiana Tags:, 2 Comentários

Fazer lasanha em casa é muito mais fácil – e saudável – do que você imagina. Aprenda a origem do prato e uma receita deliciosa!

lasanha montada completa - crédito pixabay

escritora convidada: Mônica Dias Batista

Alguns pratos conhecidos mundialmente têm seus nomes ligados aos recipientes em que são preparados. É o caso da terrine, uma espécie de patê francês feito com carnes e gorduras, que é assado ou cozido numa forma de cerâmica chamada terrine. E também do tajine, um cozido de carnes (embora também existam os vegetarianos), bastante tradicional no Marrocos, feito numa panela de barro cuja base tem a lateral baixa e a tampa é um cone com um furo para dar vazão ao vapor. O nome dessa panela? Tajine!

O que pouca gente sabe é que a lasanha também passa por esse caminho. De origem grega, os romanos já usavam a palavra “lasanum” com o significado de pote de cozinhar. Mais tarde, os italianos usaram a mesma palavra para o prato onde era feita a lasanha.

Agora o que parece mentira mesmo, é que a lasanha não é italiana! Explico melhor: existem evidências de que um prato muito similar, uma massa em camadas, já dava as caras pela corte inglesa no século XIV com o nome loseyns (lê-se “lasan”). Sem definição correta sobre a origem, a única certeza é que os italianos abraçaram a lasanha como sua e, para nossa sorte, criaram uma infinidade de combinações de massas, molhos e coberturas.

Antes de falarmos da lasanha especificamente, é válido lembrar que a cozinha italiana é uma cozinha de ingredientes, ou seja, não importa qual prato você esteja preparando: os ingredientes devem ser sempre da melhor qualidade possível. Vale a pena investir num bom azeite e num bom parmesão, por exemplo. Você vai perceber a diferença no final.

Voltando à nossa estrela do dia, o que distingue a lasanha das demais massas italianas é o seu formato: folhas largas, em quadrados ou retângulos, com a mesma espessura que uma massa longa, como um talharim. Intercalando as camadas de massa, entram geralmente dois tipos de recheio: um de carne e outro lácteo, como um bom molho bechamel (tem receita lá embaixo) ou creme de queijos. E na cobertura, sempre muito queijo ralado para gratinar.

E fazer a massa da lasanha em casa é mais simples do que se pensa. A regra é a mesma para qualquer tipo de massa: para cada 100g de farinha, utilize um ovo e uma pitada de sal. As quantidades podem variar em função da umidade da farinha ou do tamanho do ovo, mas com o tempo garanto que você vai pegando jeito. Essa porção serve super bem uma pessoa, lembrando que ainda teremos molhos e cobertura.

Comece despejando a farinha numa superfície limpa e seca e faça um buraco, uma covinha na farinha. Acrescente o ovo (lembre-se sempre de quebrar um a um numa vasilha e despejar na receita) e o sal. Com a mão, vá incorporando o ovo à farinha até sentir que a massa está homogênea, sem grudar, e sove por 10 minutos. Deixe a massa descansar coberta por meia hora, assim ela não resseca e fica mais maleável. Abra a massa com um rolo e corte do tamanho que desejar. Uma sugestão é usar a medida 10cm x 20cm. Se não tiver um rolo, use uma garrafa de vinho cheia. O peso aqui fará diferença e ajudará a abrir a massa com mais facilidade.
massa de lasanha - crédito pixabay

Antes de começar a cozinhar, já deixe pronta uma vasilha grande com água e gelo. Numa panela grande, ferva bastante água, salgue e cozinhe a massa rapidamente, só para perder o sabor da farinha, coisa de um ou dois minutinhos. Lembre-se que a massa terminará o cozimento no forno. Assim que tirar as folhas da panela, mergulhe-as na vasilha com gelo para interromper o cozimento e reserve num prato, untadas levemente com azeite para que não grudem.

Quer variar a cor e o sabor da massa? Bata no liquidificador o ovo com uma xícara de folhas de espinafre, rapidamente passadas na água fervente e bem espremidas, e misture à farinha. O mesmo vale para a massa de beterraba, mas nesse caso, o ideal é centrifugar o legume, aquecer o suco numa panela em fogo baixo até reduzir pela metade. Deixe esfriar e misture esse corante natural ao ovo. Se necessário, acrescente no final uma colher a mais de farinha para chegar na textura da massa.

A lasanha é muito democrática quanto aos recheios e praticamente todos são bem-vindos. Ragu de carne ou linguiça, frango com requeijão, presunto e mussarela, vegetais refogados… Não há regra aqui, mas vamos ao recheio clássico: o ragu de carne com molho bechamel.

 

Para o ragu (4 porções):

300g de alcatra moída
2 colheres de azeite
1/2 cebola picada
1/2 cenoura picada
1/2 talo de salsão picado
1/2 xícara de bacon picado
1/2 xícara de vinho tinto seco
1 lata de tomate italiano pelado (se preferir, pode usar 400g de tomates frescos bem maduros)
1 folha de louro e outras ervas da sua preferência, como tomilho ou orégano
sal e pimenta do reino a gosto

Deixe a carne fora da geladeira por 20 minutos. Aqueça bem uma panela e regue com o azeite. Acrescente a carne espalhada e deixe dourar bem, sem mexer muito para que ela não solte água. Tempere com sal e pimenta, e reserve. Na mesma panela, acrescente a cebola, a cenoura, o salsão e o bacon bem picados e deixe dourar. Raspe o fundo da panela para soltar os queimadinhos da carne moída e aproveitar todo seu sabor. Retorne a carne à panela, acrescente o vinho deixe reduzir pela metade. Adicione os tomates picados, o louro e as ervas. Cozinhe por pelo menos 30 minutos, lembrando que o segredo de um bom molho de carne é o fogo baixo.

Para o molho bechamel:

3 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de manteiga
1 litro de leite
1/2 cebola cortada no sentido do comprimento
1 folha de louro
3 cravos da Índia
Sal e pimenta do reino a gosto
Noz moscada (opcional)

Derreta a manteiga em fogo baixo e acrescente a farinha. Mexa essa pastinha e cozinhe até sentir um aroma caramelado. Acrescente o leite frio e mexa sem parar para não formar grumos. Deite a cebola na tábua com o corte para baixo. Coloque a folha de louro e espete os cravos da Índia. Esse aromático se chama cebola piquet e funciona muito bem com molhos a base de leite. Acrescente no molho e deixe cozinhar até espessar, mexendo de vez em quando. Acerte sal e pimenta do reino. Se usar a noz moscada, rale uma pitada, pois seu sabor é potente! Caso não use o bechamel imediatamente, cubra com um filme plástico colado ao molho para que não forme película.

Agora vamos à montagem. Unte o refratário que irá ao forno com azeite. Intercale as camadas da seguinte maneira: uma camada de ragu, uma de massa, uma de molho bechamel, outra de massa. Faça isso até acabar a massa. A última camada deve ser de bechamel. Rale um ótimo queijo parmesão e leve ao forno para terminar de cozinhar a massa e gratinar por 15 minutos.

Sabe a garrafa que você usou como rolo? É hora de dar um final justo a ela! Abra o vinho e aproveite, como todo bom italiano: sem pressa! Bom apetite!

2 Comentários

  1. admin em junho 23, 2020 diz:

    Queria utilizar este molho em TUDO!

    Responder
    • admin em junho 27, 2020 diz:

      Os dois molhos são muito versáteis mesmo!

      Responder

Deixe sua resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Switch to desktop version