O que o caso da cerveja Belorizontina contaminada da Backer revela sobre as pessoas

13 janeiro, 2020 Opinião 16 Comentários

Nas mesas de bar ou nos grupos de whatsapp, não se fala em outra coisa a não ser o caso de contaminação da cerveja Belorizontina, da Backer, com a substância dietilenoglicol. A contaminação está associada a casos de um mal já apelidado de “síndrome nefroneural” que, até este momento, afetou 17 consumidores, tendo um deles falecido em razão disso. Se você é de outro planeta, esteve hibernando numa caverna ou não tem whatsapp, leia mais sobre o caso aqui.

Antes de falarmos sobre os problemas dessa história, cabem dois esclarecimentos:

O que é dietilenoglicol?

Uma substância líquida sem cor, odor ou sabor, utilizada supostamente no resfriamento dos tanques na produção de cerveja. Portanto, na fábrica, a substância não teria contato direto com a bebida, se o processo de produção estiver funcionando perfeitamente.

Quem é a Cervejaria Backer?

Uma cervejaria mineira de sucesso, com 20 anos de história e, atualmente, 20 rótulos de cerveja registrados, além de Gin e Uísque. Pelas cervejas, recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais e veio crescendo suas instalações, até chegar à capacidade atual, de algo em torno de 1 milhão de litros/mês.

A Backer era uma marca sexy. E isso posso afirmar: era, porque o prejuízo sobre o valor de marca certamente será difícil de recuperar. Estava ampliando sua produção, lançando bebidas novas, e fazendo ótimas projeções de crescimento no faturamento. Tinha resistido às investidas de grandes conglomerados, como a Ambev. Permaneceu “fiel às raízes mineiras”, como assim quis ser conhecida em sua estratégia de produtos. O lançamento da cerveja Belorizontina, portanto, foi uma demarcação desse território. E era uma cerveja honesta, focada no mercado de entrada das artesanais, com preços bem acessíveis – eu já vi a R$ 5,99 a garrafa de 600ml, mas deve ter chegado a menos. Era, porque infelizmente, com todos os acontecimentos, essa cerveja dificilmente voltará ao mercado.

Dos absurdos que sempre aparecem junto com grandes notícias, alguns chamaram a atenção.

O mais popular até o momento envolve a Ambev. Jornalistas sem compromisso algum com a opinião pública (ou seria o contrário?) elucubram teorias da conspiração em que a gigante teria interesse na queda da cervejaria mineira, seja pelo recalque ou apenas pela competição desleal que é afinal a base fundadora do capitalismo selvagem. Hábeis com as palavras, eles não acusam diretamente a empresa, apenas insinuam no “quanto seria interessante para a Ambev que a Backer saísse do mercado”.  Será que uma multinacional global que lucrou R$ 11 bi em 2018 estaria disposta a colocar uma pitadinha de DEG na cerveja do inimigo que deve medir algo como 1/10.000 do seu tamanho?

A segunda suspeita de sabotagem, por um suposto ex-funcionário raivoso, aparece como uma verdadeira ameaça terrorista. A polícia não descarta a hipótese, porque não pode descartar nada neste momento precoce. Mas o sujeito está correndo risco de linchamento em praça pública.

A que mais me incomodou pessoalmente, na verdade é uma outra história. Uma brincadeira.

O brasileiro é sempre muito criativo com memes. O humor sempre flerta com os limites da moral. Mas acho que às vezes falta sensibilidade a esses criadores de conteúdo. Uma pessoa faleceu em razão dessa contaminação. Será que seus familiares estão achando graça naquelas figurinhas de whatsapp?

É como quem tira uma selfie sorrindo no memorial do 11 de setembro. Ou quem faz piada com o avião da Chapecoense. Humor negro, humor ácido, podem ser legais em alguns casos, mas definitivamente precisam de limites morais. E quem dá esse limite somos nós mesmos, quando repassamos, respondemos com um “kkk”, ou até quando ficamos em silêncio, sendo permissivos e deixando que esse péssimo gosto prolifere sem reprimendas.

 

Porque eu estou torcendo pela inocência da Backer

Inocência é uma palavra forte, e confesso que me falta uma melhor neste momento. Ser inocente quer dizer que não há culpa, nem negligência, mas talvez subentenda que houve ingenuidade, que é bem mais fácil de perdoar, mas não deixa de ser um erro.

Torço para que a marca seja o que eu sempre admirei dela: empreendedora, fiel a seus princípios e orientada para a qualidade. Torço para que não tenha escondido nenhuma verdade e colabore irrestritamente com as investigações. Torço para que os culpados sejam identificados e punidos exemplarmente, mas tomara que não seja a Backer. Porque se for, quem sai perdendo é quem gosta de cerveja.

Torço, mas não defendo, como não condeno, enquanto a verdade não vier à tona.

16 Comentários

  1. admin em janeiro 14, 2020 diz:

    Excelente texto! O melhor que li até então sobre o caso. Parabéns pela sobriedade e isenção. Quem dera a mídia formal aqui no Brasil estivesse formada por jornalistas com seu profissionalismo!

    Responder
    • admin em janeiro 21, 2020 diz:

      O que, então, podemos dizer dessa “contaminação” se em nenhum momento e nenhuma marca de cerveja no utiliza o DEG em sua formulação? O que os mais curiosos querem saber é como o DEG foi parar dentro da garrafa da cerveja!!!

      Responder
  2. admin em janeiro 14, 2020 diz:

    As pessoas deveriam ter este tipo de ética e moral ao julgar ou criticar. A cautela faz parte do conteúdo humano. Deveríamos fazer uso. Que a Backer tenha sua história resolvida …

    Responder
  3. admin em janeiro 14, 2020 diz:

    todo e questão de procedênçia; Olhar, investigar a fundo…

    ATUALMENTE A CPI DE BRUMADINHO DA ASSEMBLIA LEGISLATIVA DE MG. CONDENOU EX – PRESIDENTE DA VALE E 13 ENGENHEIROS no ano 2019 no Brasil.

    Quem tiver contato com Lama ingerir alimentos água e apresentar sintomas como vômitos, coceira, tontura e diarreia deve procurar uma unidade de saúde.

    Sabendo que Segundo a Universidade Federal de Juiz de Fora MG. Deu um Laudo: Qualquer Rio atingido por Rejeitos de Minério de Ferro Leva 150 anos para recuperar a Vida.

    A professora Cláudia Carvalhinho, do Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), fez a análise da lama dos rejeitos da extração do minério de ferro e detectou a presença de metais pesados no material.

    Foram encontrados ferro, manganês e alumínio. A pesquisadora alerta ainda que possam ser encontrados cromo, chumbo e arsênio na Lama.

    O governador de Minas Gerais Romeu Zema; Deveria enviar Kit Médicos para fazer Exame de Ferro para todos os Hospitais das Cidades Ribeirinhas do Grande Lago da represa de Treis Marias e toda Bacia do Rio são Francisco.
    Para constatar Morte de Crianças e Adultos caso ocorram? Sendo que maioria dos poços Artesianos está próximo a Margem do Rio contaminado a Água, pois o Subsolo será atingido. OS POÇOS ARTERZIANOS E CISTERNAS.

    Inércia e a demora, tomar Medidas Emergências de imediato para Proteger o Rio São Francisco.
    PELA VIDA; No clamor agonizante do Rio São Francisco salvem! Salvem O. Do Mar de lama trazido pelo Rio Paraopeba da tragédia de Brumadinho MG. Risco Eminente de Morrer até o MAR entre os Estados Sergipe e Alagoas.
    Obs.: NOVAS ELEIÇÕES de POMPÉU MG: TUDO DEPENDE DO PREFEITO:

    A Eleição mais valorizada do Brasil, Recebendo Doações de Grandes Irrigadores e Agropecuaristas para campanha eleitoral;

    O MOTIVO; Se acontecer de Romper a Barragem de Retiro de Baixo na Fazenda Laranja do Município de Pompéu MG,

    — Não existirá agropecuário na área, pois todo o Rio São Francisco será morto por Rejeitos de Minério de ferro.—

    Responder
  4. admin em janeiro 14, 2020 diz:

    Concordo em gênero, números e graus com este comentário. Eu ainda vou tomar muitas Backer,cerveja de altíssima qualidade. Lamentável o ocorrido.

    Responder
  5. admin em janeiro 14, 2020 diz:

    Ótimo texto! Concordo 100%.

    Responder
  6. admin em janeiro 16, 2020 diz:

    Porque nem empregados nem os donos da fábrica não ficaram doentes? Não consomem o que produzem?

    Responder
  7. admin em janeiro 16, 2020 diz:

    Ótimo texto! Acredito que, em maioria, os mineiros torcem pela Backer. E eu que nem gosto de bebidas alcoólicas.

    Responder
  8. admin em janeiro 16, 2020 diz:

    Não só perde quem gosta de cerveja, mas sim toda a sociedade como um todo, no sentido social de toda empresa. Compensa até revisar no final do texto. Abs e parabéns pela sobriedade e valor ético e moral do texto.

    Responder
  9. admin em janeiro 16, 2020 diz:

    Melhor comentário que li a respeito do assunto, justo, imparcial, ponderado.

    Responder
  10. admin em janeiro 16, 2020 diz:

    Parabéns pelo texto. Ótimas observações. Com as redes sociais, todos se tornaram jornalistas, detetives, juízes e até deuses da verdade.

    Responder
  11. admin em janeiro 17, 2020 diz:

    Bem feito! Donos arrogantes! tem que se puder mesmo

    Responder
  12. admin em janeiro 22, 2020 diz:

    Gostei do texto, mas orientados para a qualidade eles não eram.
    Um sistema produtivo com a mínima preocupação pela qualidade, detectaria a falha antes dela sair pelos portões da fábrica.
    A postura inicial da empresa, buscando manter seu produto no mercado, enquanto pessoas morriam supostamente por causa deles, me trouxe grande decepção.
    Para mim, uma demonstração de descaso com a saúde e a vida de seus clientes.
    Se foi sabotagem do concorrente, de um funcionário, ou mesmo um vazamento que causou a 09contaminação, isto só importa para a justiça e para elucidação do caso.
    A satisfação, saúde e bem estar do cliente, é OBRiGAÇÃO da empresa.
    Qualquer sistema da qualidade de segunda categoria, não teria deixado este problema se estender por tanto tempo.
    Aliás, os funcionários especialistas desta empresa não bebiam do produto que fabricavam?
    Eles teriam chance de notar diferenças no sabor, relacionar os sintomas após beber, com traços de etilenoglicol no produto.
    Por isso, para mim não dá para engulir e nem aceitar as justificativas.
    As outras fabricantes de cerveja artesanal, também sofrerão perda de credibilidade devido à esta demonstração desastrosa de baixo profissionalismo.
    Terão que lutar muito para mostrar que estão em outro patamar, e que não querem pagar para ver o custo da não qualidade.
    Nossos sentimentos pelas vítimas e suas famílias, e estes estragos Terão que ser devidamente indenizados.

    Responder
    • admin em janeiro 23, 2020 diz:

      Concordo com a grande maioria do que você escreveu. Quando falo qualidade, na verdade me refiro à qualidade do produto final. Sempre achei a Medieval e a Tommy Gun das melhores do mercado em suas categorias.
      Vamos torcer para que a situação se esclareça de vez.
      Um abraço e obrigado por participar!

      Responder
  13. admin em janeiro 22, 2020 diz:

    Não me importo, não bebo mesmo….

    Responder
  14. admin em janeiro 23, 2020 diz:

    Não sejam inocentes. O programa fantástico publicou uma matéria de natureza similar ocorrido no méxico envolvendo uma fábrica de refrigerantes que se recusou investida da coca cola, no sentido de ser vendida,porém, mediantecusa,o que ocorreu? Mataram o proprietario.Então, não venha com esse papinho de lucro bilionário. Coca cola é muito maior ,captou?

    Responder

Deixe sua resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Switch to desktop version