Frango com ervas, aspargos e batatinhas

4 março, 2009 Carnes Tags:, , , , , 0 Comentários

sobrecoxa de frango com aspargos

Comi junto com Risoto de limão siciliano e menta

Cheguei à conclusão nada brilhante que a coxa com sobrecoxa é o corte mais saboroso do frango. A carne é tenra e suculenta. Você pode impregná-la de tempero e fazer o que quiser depois.

4 cortes de coxa com sobrecoxa de frango
1 kg de batatas pequenas
8 talos de aspargo

2 punhados de estragão
2 punhados de folhas de sálvia

200ml de vinho branco
5 colheres de vinagre balsâmico
Azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino

rende 4 porções

Faça cortes no frango para entranhar o tempero. Esfregue sal e pimenta nos cortes, e vá enfiando a sálvia onde possível. Aqueça uma frigideira com azeite e coloque as coxas para dourar. Quando ficarem bem douradas, regue mais azeite e coloque numa travessa, com a pele virada baixo. Reserve a frigideira suja. Jogue o vinho branco por cima do frango, e também o estragão. Role as batatinhas na gordura da panela, e disponha-as em volta das coxas. Leve ao forno em temperatura média por mais ou menos 40min.

Depois de uns 20 minutos de forno, aqueça a frigideira com a gordura que ficou do frango, e doure os aspargos nela, até ficarem macios. Coloque os aspargos na travessa para aproveitarem os últimos minutos de forno (mas tem que ser pouco, senão eles murcham). Você pode deixar o frango ficar bem dourado, dificilmente vai ressecar.

Na hora de servir, é legal montar o prato distribuindo os aspargos para todos, porque senão pode dar briga! Regue um pouco de vinagre balsâmico por cima do frango. Delicioso.

Risoto de limão siciliano e menta

4 março, 2009 Acompanhamentos Tags:, , , , 4 Comentários

Fazer um risoto exige em torno de meia hora de uma deliciosa dedicação. Dizem que no Brasil o risoto virou arroz piemontês só porque a gente não fazia com o tipo de arroz certo. Existe uma receita básica, mais ou menos unânime, e aí você vai inventando os adicionais. Eu inventei esse risoto de limão siciliano e menta, mas aposto que já existia antes. Prefira não usar a) parmesão que não seja fresco, b) outro tipo de arroz, c) óleo ao invés de azeite. Acredite, faz um mundo de diferença.

Risoto de limão siciliano e menta

1 cebola bem picada e outra inteira
1 cenoura
1 talo de salsão, picado
2 dentes de alho, picados
500g de arroz arbóreo ou carnaroli
2 limões sicilianos
1 punhado de folhas de menta + raminhos para decorar
500ml de vermouth ou vinho branco
100g de parmesão ralado fresco
1 colher de sopa bem cheia de manteiga
4 colheres de azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino

dá pros 6 comerem

Coloque para ferver 1 litro de água com a cebola cortada em 4, um talo de salsão, a cenoura, as folhas de menta e a casca de um dos limões. Mantenha essa água no fogo brando, pois você vai precisar dela quente.

Aqueça o azeite na panela, e frite a cebola até que fique transparente. Adicione o salsão, doure mais um pouco e em seguida adicione o alho. Adicione o arroz, e a partir de agora tem que prestar atenção. Vá mexendo frequentemente, até que o arroz frite um bocado. Adicione mais azeite, se necessário.

Adicione o vermouth ou vinho. Sinta como ele vai soltar um aroma delicioso. Deixe secar, e a partir de agora cumpra o ritual do risoto: cubra o arroz com água do caldo, mexendo sempre para não grudar. Deixe reduzir, e cubra de novo. E vai assim, até o arroz ficar quase cozido, ainda bem firme. Ajuste o sal.

Desligue o fogo. Junte o suco e as raspas bem fininhas do outro limão. Coloque a manteiga, e mexa bem, até que ela derreta. Depois, o parmesão ralado, e mexa bem de novo. Eu costumo colocar um pouco mais de água, também, porque durante o descanso, ela vai secar, e fazer com que o risoto chegue ao ponto perfeito, cremoso, sedoso. Se for servir na panela, fica legal jogar parmesão por cima no final, para dar uma crostinha de queijo. Deixe descansar por uns 10 minutos antes de servir. Vai estar muito quente.

Eu também aprendi que é melhor manter o risoto de limão siciliano mais molhado quando sai do fogo, para que ele não seque enquanto estiver na mesa. E um doloroso conselho: não deixe sobrar para o dia seguinte. Continua gostoso, mas não é tudo aquilo.

Comi junto com Frango com ervas, aspargos e batatinhas

Se sobrar risoto de limão siciliano, o que fazer?

Acrescente mais uma concha do caldo de legumes ao que tiver sobrado do risoto, misture bem e congele. Quando for a hora de descongelar, coloque no microondas em temperatura baixa, utilizando uma tampa específica de microondas, para manter o seu risoto molhadinho. Não fica a mesma coisa, mas é bem melhor que não comer, né?

Tapas de batatas com carne

10 fevereiro, 2009 Carnes, Comida espanhola, Petiscos Tags:, , , , , 4 Comentários

 

Quando aprendi sobre tapas, descobri que compartilhar é a alma do negócio. Por isso, essas “comidinhas” vem porções pequenas, cada um pega um pouquinho e vamos para o tapa seguinte. O problema é que os bons tapas dão trabalho, e muitos tem que ser feitos na hora. Então, a não se importe em não participar do seu próprio evento, é bom pensar bem na logística da cozinha.

Tapas de batatas com carne

1 kg de batatas médias
2 cebolas
200g de carne moída
50g de bacon cortado em cubos
2 ovos grandes
2 colheres sopa de farinha de rosca
1 dente de alho bem picado
1 colher de salsinha bem picada
1/2 xícara de vinho branco
1/2 xícara de água
3 colheres sopa de farinha de trigo
Suco de 1 limão
1/2 xícara de azeite extra-virgem
Sal e Pimenta

dá pra 6 petiscarem beeem

Tudo começa escolhendo as batatas que vão funcionar melhor. Elas tem que ser mais arredondadas, e não podem ser pequenas. Você vai entender quando fizer pela primeira vez. Descasque-as, corte ao meio na transversal e escave o miolo, fazendo tipo um cestinho. Tente deixar o cestinho com uma espessura uniforme. O miolo você deixa na água para não escurecer, e depois faz um purê, sei lá. Não corte todas as batatas ainda, pra poder distribuir bem o recheio.

Misture numa vasilha a carne moída, o bacon picado, uma cebola picada, salsinha, as gemas dos ovos, a farinha de rosca e o suco do limão. Sal e pimenta do reino a gosto. Então, vá preenchendo as batatas com esse recheio, até ficar um montinho para fora dela.

Aqueça azeite suficiente para fritar as batatas, mas não precisa cobri-las. Bata as claras até ficarem brancas. Passe as batatas recheadas nas claras, e depois na farinha de trigo, e coloque para fritar. Não se preocupe, se você fez tudo certo, a carne vai ficar quietinha no lugar. Frite até que fiquem douradas.

Pré-aqueça o forno. Vá retirando as batatas e colocando numa assadeira. Quanto terminar de fritar todas, adicione o alho e a outra cebola picada ao azeite que ficou na panela, adicione a farinha de trigo que sobrou, ja dissolvida na água, e o vinho branco. Deixe ferver um pouquinho, e depois jogue essa mistura por cima das batatas. Leve ao forno em temperatura média por uns 15 minutos.

Sirva acompanhado de uma boa pimenta. Cerveja gelada cai bem também.

Quer saber mais sobre tapas?

Eu falei um pouquinho mais sobre esses petiscos espanhóis nesse outro post. Corre lá!

Inspirado no livro Tapas - Os Criativos Petiscos Espanhóis em Versões Salgadas e Doces

Salada Coleslaw – salada americana de repolho, cenoura e cebola

9 fevereiro, 2009 Comida americana, Saladas Tags:, , , , , , , 4 Comentários

Salada Coleslaw

Essa tradicional salada americana vai muito bem com carnes vermelhas assadas, ou num churrasco, ou até num sanduíche. É refrescante e surpreendentemente bem aceita – muita gente que não come salada come coleslaw sob o pretexto de não ser uma salada.

1/4 de repolho verde
2 cenouras grandes
1 cebola
1 colher folhas de hortelã(menta) rasgadas
1/2 xícara de uvas passas brancas
3 colheres de maionese
suco de 1 limão

rende 6 porções

Bem, acho que duas coisas fazem uma boa coleslaw: textura e frescor. Por isso, é importante usar vegetais frescos e cortá-los perto da hora de servir. É importante cortar o repolho em tiras bem finas, ralar a cenoura inclinada para dar pedacinhos maiores, e fatiar a cebola também fina, cortada ao meio, e separando os anéis uns dos outros antes de misturar.

Jogue tudo numa tigela, acrescente o suco de limão, a maionese, as passas e misture bem… com as mãos! A maionese deve envolver os ingredientes, mas não fazer deles uma pasta. Adicione as folhinhas de menta, que vão dar aquele arzinho frio na boca, e um pouquinho de sal.

Experimente. Está muito azeda? Você consegue sentir todos os ingredientes? Compense as proporções com o seu senso de justiça. Sirva fria.

Variações que eu já vi da salada Coleslaw

Vale a pena dizer que eu já comi Coleslaw de vários tipos. Primeiro, sem passas. Depois, com repolho roxo. Com pepino misturado. Com picles decorando. Com iogurte ao invés de maionese. Com limão siciliano ao invés do limão normal. E por aí vai. O importante é não perder o espírito coleslaw de ser: crocância, frescor e ser molhadinha, pra acompanhar uma carne gorda como uma costela barbecue.

Salada de macarrão e atum

4 fevereiro, 2009 Massas, Peixes, Saladas Tags:, , , , , 3 Comentários

Essa salada de macarrão e atum não impressiona visitas, não é light(apesar dos meus esforços) e não deixa uma impressão marcante na boca. É apenas um prato versátil, para servir como entrada ou para uma refeição leve num dia quente. O que a deixa agradável é a proporção acertada entre os ingredientes, que funciona melhor no olho e na boca. Portanto, não tenha medo de experimentar e fazer as adaptações que julgar necessárias. É imprescindível também servi-la fria, mas não gelada.

Salada de macarrão com atum

200g de macarrão fusilli
1 lata de atum em pedaços (pode ser light)
1/4 cenoura ralada
1/2 xícara de azeitonas verdes, em rodelas
2 colheres de sopa de maionese light
Suco de 1/2 limão
1/2 maço pequeno de salsinha, picada grosseiramente
Sal a gosto

Rende 2 porções

Cozinhe o macarrão al dente (tire da água enquanto mais firme, e se necessário dê-lhe um banho de água fria imediatamente, para interromper o cozimento). Deixe o macarrão esfriar bem. Enquanto isso, prepare os outros ingredientes. Desmanche bem o atum. Sugiro comprá-lo em pedaços ou inteiro, pois por experiência própria vi que há menos impurezas, como pedacinhos de osso, do que no atum ralado. Talvez seja só coincidência.

Depois que o macarrão esfriar, misture tudo numa bacia, menos a salsinha. Há quem goste de misturar a maionese primeiro, com uma colher, e depois acrescentar o macarrão. Eu gosto de por a mão na massa e sentir os ingredientes entre meus dedos, embora faça mais bagunça. Acho que assim a salada fica mais homogênea também.

Por último, pique a salsinha, adicione à salada, e separe uns galhos para enfeitar. Normalmente prefiro colocar a salsinha mais para o final, porque assim ela não perde sua textura. Coloque um pouco de sal e experimente, ajustando as proporções dos ingredientes como você achar melhor.

Cubra a bacia com filme pvc e deixe descansar na geladeira por 15 minutos. Se você for servir numa travessa grande, enfeite com ovos cozidos fatiados e raminhos de salsinha. E avise aos gordinhos: é salada, mas não é dieta.

Frango agridoce

26 janeiro, 2009 Carnes, Comida chinesa Tags:, , , , 2 Comentários

Essa receita de frango agridoce é para quem tem tara por legumes. Você pode mexer nas proporções da receita, se esse não for o seu caso, mas com cuidado: a combinação colorida é o charme do prato.

Frango agridoce chinês

500g de filé de peito de frango
3 colheres de óleo de soja
2 dentes de alho
1 pimentão verde, 1 vermelho e 1 amarelo
1 cenoura grande
2 talos de salsão
1 cebola grande
1 colher de farinha de milho
1 xícara de molho de soja (shoyu)
1/2 lata de abacaxi em calda
2 colheres de vinagre
1 colher de açúcar mascavo
1 colher de gengibre ralado
Sal e pimenta

Rende 4 porções

Escolha a sua melhor faca e saia picando tudo: pique o frango em cubos, coloque uma pitada de sal e pimenta, bem pouquinho mesmo, e jogue na panela já com o óleo quente. Enquanto ele doura, corte os pimentões e a cebola em quadrados, a cenoura “julienne” (corte inclinado), os talos de salsão em rodelas e o abacaxi como quiser. Fatie também o alho.

Acho que fica mais bonito se você cortar pedaços grandes, quase exagerados, que valorizem as muitas cores do prato. Pimentões coloridos podem sair bem mais caro, mas garanto que os seus olhos vão comer com mais prazer.

Quando o frango estiver começando a dourar, acrescente os vegetais e o alho. Jogue mais óleo se preciso, já que eles vão fritar por alguns minutos. Em uma bacia, dissolva a farinha de milho no shoyu. Quando os vegetais da panela estiverem macios, acrescente a mistura, e mais o gengibre, vinagre, açúcar mascavo e os pedaços de abacaxi, com um pouco do caldo.

Deixe cozinhar por alguns minutos, para que os temperos entrem na comida. O shoyu tem muito sódio, então não vai precisar ajustar o sal. É mais provável que você tenha que ajustar o açúcar, ou colocar mais shoyu se achar que está ficando muito seco.

Poderia rolar um arroz chinês para acompanhar, mas essa é uma outra receita…

Switch to desktop version