tag: Peixes

Salmão com shitake e molho de mostarda e mel

16 março, 2010 Peixes Tags:, , , , 4 Comentários

salmão com shitake

Eu precisava comer alguma coisa que me fizesse sentir saudável. Então lá fui fazer um salmão… que é aquele peixe unanimidade né? Parece até que você correu na esteira de tão saúde quando come um. Cogumelos também sempre caem muito bem. E molho de mel e mostarda, então… hmmm. O lance é investir num bom filé de salmão, fresco e alto, faz toda a diferença do mundo! Ah, e se você não tinha um pincel de cozinha, chegou a hora de ter!

2 filés de salmão altos (+- 200g cada)
300g de cogumelos shitake (pode até fazer com outro)
1/2 cebola
1 colher sopa de molho shoyu
2 colheres sopa de mel
1 colher sopa de mostarda
1 colher sopa de manteiga sem sal
suco de 1 limão
Azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino
Alface americana para decorar

rende 2 porções

Primeiro, os cogumelos: pique-os em pedaços pequenos, assim como a cebola. Aquela um pouco de manteiga numa frigideira, com um pouquinho de azeite, e doure a cebola. Acrescente os cogumelos e em seguida o shoyu. Finalize com algumas gotas de suco de limão, e reserve.

Ao mesmo tempo que doura os cogumelos, remova a pele dos filés, se ainda a tiverem, e tempere-os dos dois lados com sal e pimenta do reino. Aqueça outra frigideira com um fio de azeite, que seja espaçosa, para os filés ficarem confortáveis! Faça o molho de mel e mostarda, misturando os ingredientes – aqui vale ir experimentando e ajustando – suco de limão, mel, mostarda, azeite e pimenta do reino. O azeite é quem vai pacificar a mistura e promover a união dos ingredientes, então não o despreze. Feito o seu molho lindo-maravilhoso, chega a hora mais secreta de todas: com um pincel, espalhe um pouco do molho dos dois lados do salmão, e coloque-o na frigideira super-quente, por 3 minutos. Vá pincelando insistentemente, sempre que perceber que a superfície do salmão absorveu o tempero. Vire-o, cozinhe por mais 3 minutos, sempre pincelando, e está pronto! O filé deve ficar levemente cozido no meio, super macio e suculento, desmanchando na boca. Se não ficou assim, tudo leva a crer que você cozinhou demais, com medo de ficar cru. Então vale a pena um dia tirar do fogo sabendo que está meio cru, afinal assim você aprende o outro lado da moeda, não é mesmo? E salmão fresco é gostoso de qualquer jeito.

Pique a alface americana em tiras, e decore o prato para a chegada do filé. Eu montei o filé por cima dos cogumelos, e mais algumas pinceladas de molho por cima de tudo, e por cima da alface também – que aliás ficou um ótimo side dish. O molho de mostarda e mel é uma sacanagem – dá vontade de beber.

Bacalhau à Gomes de Sá

30 setembro, 2009 Comida portuguesa, Peixes Tags:, , , , 16 Comentários

Depois do bacalhau da Rita de Cássia, chegou a hora do Bacalhau à Gomes de Sá. Confesso que fiz uma breve pesquisa para ver diferenças entre as receitas, e o que mais me surpreendeu é que não existe muita diferença. São fundamentais um belo bacalhau e um bom azeite. Se você é daqueles que come muito azeite por que acha que “faz bem”… esse prato vai te deixar novinho em folha.

Bacalhau à Gomes de Sá

300g de bacalhau em lascas
1 litro de leite
500g de batatas
1 punhado de azeitonas pretas sem caroço
1 punhado de salsinha, bem picada
1 cebola, picada
1 colher sopa de manteiga
Muito azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino

rende 4 porções

Deixe o bacalhau de molho na água de um dia para o outro, trocando a água 3 vezes. É o famoso demolhar o bacalhau. Quando for preparar o prato, cozinhe as lascas de bacalhau no leite durante 15 minutos, sem deixar ferver. Escorra, desfie o bacalhau ainda quente e reserve.

Cozinhe as batatas em água com muito sal. Descasque-as ainda quentes, e corte-as em rodelas de +- 0,5cm de espessura.

Numa panela que vá ao fogo e ao forno, aqueça um pouco de azeite e a manteiga. Frite a cebola picada em meias rodelas por 2 minutos. Acrescente as batatas, mexendo bem, deixe corar um pouco, e a seguir junte as azeitonas pretas sem caroço e o bacalhau. Frite por mais 2 minutos, só para dar um sabor, ajuste o sal, regue tudo com bastante (mas é bastante mesmo) azeite, misture com cuidado para que o azeite embale os ingredientes, e leve ao forno por uns 20 minutos.

Quando as batatas ficarem coradas, está na hora de tirar do forno. Regue com mais azeite, e finalize com salsinha picada. Depois, coloque um pouco mais de azeite e sirva. Com o vidro de azeite na mesa, claro.

Saiba mais sobre o Bacalhau à Gomes de Sá

Essa é uma das receitas de bacalhau mais tradicionais que se tem notícia. O mito tem nome: José Luís Gomes de Sá Júnior, um negociante de bacalhau na cidade do Porto, Portugal. O bigodudo vendeu a receita a um amigo, que possuía um restaurante no centro da cidade, e assim foi conhecido. O grande diferencial da receita é amaciar as lascas de bacalhau no leite, além da simplicidade dos ingredientes.

Tá a fim de comer mais dessa iguaria? Dá uma olhada nas minhas outras receitas de bacalhau!

Salada de macarrão e atum

4 fevereiro, 2009 Massas, Peixes, Saladas Tags:, , , , , 3 Comentários

Essa salada de macarrão e atum não impressiona visitas, não é light(apesar dos meus esforços) e não deixa uma impressão marcante na boca. É apenas um prato versátil, para servir como entrada ou para uma refeição leve num dia quente. O que a deixa agradável é a proporção acertada entre os ingredientes, que funciona melhor no olho e na boca. Portanto, não tenha medo de experimentar e fazer as adaptações que julgar necessárias. É imprescindível também servi-la fria, mas não gelada.

Salada de macarrão com atum

200g de macarrão fusilli
1 lata de atum em pedaços (pode ser light)
1/4 cenoura ralada
1/2 xícara de azeitonas verdes, em rodelas
2 colheres de sopa de maionese light
Suco de 1/2 limão
1/2 maço pequeno de salsinha, picada grosseiramente
Sal a gosto

Rende 2 porções

Cozinhe o macarrão al dente (tire da água enquanto mais firme, e se necessário dê-lhe um banho de água fria imediatamente, para interromper o cozimento). Deixe o macarrão esfriar bem. Enquanto isso, prepare os outros ingredientes. Desmanche bem o atum. Sugiro comprá-lo em pedaços ou inteiro, pois por experiência própria vi que há menos impurezas, como pedacinhos de osso, do que no atum ralado. Talvez seja só coincidência.

Depois que o macarrão esfriar, misture tudo numa bacia, menos a salsinha. Há quem goste de misturar a maionese primeiro, com uma colher, e depois acrescentar o macarrão. Eu gosto de por a mão na massa e sentir os ingredientes entre meus dedos, embora faça mais bagunça. Acho que assim a salada fica mais homogênea também.

Por último, pique a salsinha, adicione à salada, e separe uns galhos para enfeitar. Normalmente prefiro colocar a salsinha mais para o final, porque assim ela não perde sua textura. Coloque um pouco de sal e experimente, ajustando as proporções dos ingredientes como você achar melhor.

Cubra a bacia com filme pvc e deixe descansar na geladeira por 15 minutos. Se você for servir numa travessa grande, enfeite com ovos cozidos fatiados e raminhos de salsinha. E avise aos gordinhos: é salada, mas não é dieta.

Switch to desktop version