tag: Batata

Batata ao murro

28 fevereiro, 2012 Acompanhamentos, Muito fácil Tags:, , , , 13 Comentários

Se você acha que um tapinha não dói, que tal experimentar algo mais forte? Essa batata ao murro é um excelente acompanhamento para qualquer carne com personalidade, churrascos e coisas do tipo. Mas também funciona com um salmão, quem sabe?

Batata ao Murro

1kg de batatas grandes
Sal marinho grosso (o quanto baste)
Azeite extra-virgem (o quanto baste)
Alecrim fresco
Papel Alumínio

dá para 4 pessoas

Mais fácil, impossível. Besunte as suas batatonas com azeite, e depois esfregue sal grosso (cuidado, ele salga mais que aquele sal de cozinha). Deve ser algo como uma colher de sopa de sal grosso por batata. Eu lavo as batatas, mas não retiro a casca – é a melhor parte! Regue um pedaço de papel alumínio com azeite, sal e alecrim, e embale cada batata separadamente.

Leve ao forno a 230º por cerca de 3 horas. Você vai saber que estão prontas quando apertar e estiverem bem macias – leva tempo, não se preocupe. É saudável que você se irrite com o fato de elas gastarem tanto o seu precioso gás de cozinha que só passa na quarta meio-dia, porque a seguir vem a melhor parte…

Retire as batatas ainda envoltas em papel alumínio. Coloque sobre uma mesa firme. Feche o seu punho preferido… e POW! dê um soco na batata para desmanchá-la deliciosamente. Como abrir o papel-alumínio depois, não tem problema nenhum! Um soco bem dado vale o trabalho. Desembrulhe a sua batata espancada, regue com azeite e sirva a pobre coitada.

Camarão empanado

26 outubro, 2010 Frutos do mar, Petiscos Tags:, , , , , , , , 4 Comentários

Inspirado em receita do livro Cook with Jamie

Não é à toa que camarão é um bicho tão badalado. Se você pode comprar alguns de boa qualidade, do tamanho do seu dedo mindinho para maiores de 18 anos, você já descobriu que ele é uma das melhores coisas da vida. De tira-gosto então, é impressionante. Esse prato requer uma boa cerveja e, se for domingo, um futebolzinho rolando na tv. Ê vidão, hein?

1 xícara de farinha de rosca
um punhado de salsinha picada
suco de 2 limões, mais outros 2 pra servir
1 punhado de queijo parmesão ralado
300g de camarões médios (usei o rosa médio)
1 xícara de farinha de trigo
2 ovos
Sal e pimenta-do-reino

rende tiragosto para 4

É bem fácil. Unte uma travessa com óleo e misture nela a farinha de rosca, salsinha, suco de limão e queijo parmesão. Depois, monte dois pratos fundos ao lado: um com farinha de trigo e outro com os 2 ovos ligeiramente batidos.

Daí vem o truque que eu aprendi mas esqueci com quem. Use uma mão para passar os camarões na farinha de trigo; outra mão para passá-los nos ovos; e a mesma primeira mão para passá-los na mistura de farinha de rosca. Assim, cada mão se concentra no que faz melhor, né? E ainda diminui a lambança.

Depois que todos os seus camarões estiverem cobertos pela mistura – é bom cobrir completamente e ainda dar aquela apertadinha na farinha de rosca para formar a crosta – é só levar ao forno médio por cerca de 15 minutos.

Sirva com generosas fatias de limão e uma boa cerveja (recomendo a da foto: Colorado Índica). Eu também fiz umas batatas cozidas-fritas para acompanhar, fazendo meio que um shrimp-and-chips. Mas faça como quiser. Camarão é vida.

Paleta de cordeiro

14 outubro, 2010 Carnes Tags:, , , , , 0 Comentários

Mais um prato de cordeiro, carne essa que já deixou de ser exótica para o meu cardápio. Além de saborosa, ela tem se mostrado uma excelente opção para fugir do bifinho ou qualquer comida insossa da rotina. Esse prato é um show de conforto. O purê e o cordeiro imploram pelo molho numa combinação incrível.

1 paleta de cordeiro (+- 1,5kg)
1 cabeça de alho
2 maços grandes de alecrim
2 punhados de folhas de hortelã
4 batatas grandes
2 cenouras
2 colheres sopa de manteiga
1 colher sopa de farinha de trigo
2 colheres sopa de vinagre de vinho tinto
500ml de caldo de legumes
Azeite extra-virgem
Sal e pimenta-do-reino

rende 4 porções

Monte uma “cama” com todo o alecrim no fundo de uma assadeira, e coloque os dentes de alho inteiros e com casca junto. Esfregue bastante sal e pimenta do reino na sua paleta, deite-a na cama e regue com azeite, para ajudar o tempero a entranhar. Leve ao forno médio por cerca de 2 horas.

Na metade desse tempo, descasque as batatas e as cenouras e cozinhe tudo junto. Depois de bem cozidas, escorra, amasse-as com um garfo e misture uma colher de manteiga. Acerte o sal e pimenta do reino e reserve o purê.

A experiência vai dizer quando sua paleta vai estar pronta. Retire-a da travessa e deixe sob uma mesa para descansar, enrolada em papel alumínio. Isso vai permitir que os sucos da carne voltem para o lugar e ela ganhe em maciez. Pegue a assadeira, descarte o alecrim e leve-a ao fogo (isso mesmo, ao fogo!), misturando o caldo de legumes, a farinha de trigo e a outra colher de manteiga. Deixe que o caldo absorva aquela gordura que ficou grudada no fundo da assadeira, vinda do cordeiro. Após alguns minutos, com o caldo engrossando, acrescente o vinagre e as folhas de hortelã picadinhas e retire o molho do fogo.

Regue o cordeiro com o molho. Regue o purê com o molho. Sirva porções generosas com regadas generosas de molho. Descasque os dentes de alho quando aparecerem, e descubra o sabor adocicado. Esse prato é um novo favorito para qualquer um.

Batata da Cora

7 janeiro, 2010 Acompanhamentos, Comida mineira, Muito fácil Tags:, , , 2 Comentários

Comi junto com Tropeiro rico do Jota

Nada melhor que uma batata corada para acompanhar uma comida mineira. E a dona Cora faz essa batata como ninguém. Eu bem que tentei aprender… espero que você também tente. A graça é justamente ela ficar com gosto de frita por fora, mas com o sabor de cozida por dentro. Ou seja, saudável em pele de gorda. Eu acho.

500g de batatas médias e do mesmo tamanho
4 colheres sopa de farinha de trigo
Óleo para fritar
Sal

Rende 4 porções

Detalhe: as batatas têm que ser médias, ou seja, elas vão cozinhar todas por igual, e, quando cortadas em 4, vão caber na boca de uma vez só.

Cozinhe-as na água com um punhado de sal. Retire-as quando o garfo puder penetrar uma delas com facilidade, mas não deixe cozinhar demais, senão elas desmancham na hora de fritar.

Descasque-as ainda quentes, e seque-as com papel toalha. Pique-as ao meio, e depois ao meio de novo. Você quer elas grandes, mas que caibam na boca. Espalhe a farinha de trigo num prato, role-as por lá com carinho, cobrindo-as completamente.

Aqueça o óleo bastante. Você vai saber que está quente o suficiente quando colocar uma batata e ela ficar imediatamente coberta de “borbolhas” de óleo.

Frite as batatas até ficarem coradas… afinal não era esse o nome do prato? Retire-as com carinho, coloque-as no papel toalha e seque novamente. Pitadas generosas de sal por cima, e pronto! Ela vai ficar crocante por fora, e macia por dentro. Cora ficaria orgulhosa.

Bacalhau à Gomes de Sá

30 setembro, 2009 Comida portuguesa, Peixes Tags:, , , , 17 Comentários

Depois do bacalhau da Rita de Cássia, chegou a hora do Bacalhau à Gomes de Sá. Confesso que fiz uma breve pesquisa para ver diferenças entre as receitas, e o que mais me surpreendeu é que não existe muita diferença. São fundamentais um belo bacalhau e um bom azeite. Se você é daqueles que come muito azeite por que acha que “faz bem”… esse prato vai te deixar novinho em folha.

Bacalhau à Gomes de Sá

300g de bacalhau em lascas
1 litro de leite
500g de batatas
1 punhado de azeitonas pretas sem caroço
1 punhado de salsinha, bem picada
1 cebola, picada
1 colher sopa de manteiga
Muito azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino

rende 4 porções

Deixe o bacalhau de molho na água de um dia para o outro, trocando a água 3 vezes. É o famoso demolhar o bacalhau. Quando for preparar o prato, cozinhe as lascas de bacalhau no leite durante 15 minutos, sem deixar ferver. Escorra, desfie o bacalhau ainda quente e reserve.

Cozinhe as batatas em água com muito sal. Descasque-as ainda quentes, e corte-as em rodelas de +- 0,5cm de espessura.

Numa panela que vá ao fogo e ao forno, aqueça um pouco de azeite e a manteiga. Frite a cebola picada em meias rodelas por 2 minutos. Acrescente as batatas, mexendo bem, deixe corar um pouco, e a seguir junte as azeitonas pretas sem caroço e o bacalhau. Frite por mais 2 minutos, só para dar um sabor, ajuste o sal, regue tudo com bastante (mas é bastante mesmo) azeite, misture com cuidado para que o azeite embale os ingredientes, e leve ao forno por uns 20 minutos.

Quando as batatas ficarem coradas, está na hora de tirar do forno. Regue com mais azeite, e finalize com salsinha picada. Depois, coloque um pouco mais de azeite e sirva. Com o vidro de azeite na mesa, claro.

Saiba mais sobre o Bacalhau à Gomes de Sá

Essa é uma das receitas de bacalhau mais tradicionais que se tem notícia. O mito tem nome: José Luís Gomes de Sá Júnior, um negociante de bacalhau na cidade do Porto, Portugal. O bigodudo vendeu a receita a um amigo, que possuía um restaurante no centro da cidade, e assim foi conhecido. O grande diferencial da receita é amaciar as lascas de bacalhau no leite, além da simplicidade dos ingredientes.

Tá a fim de comer mais dessa iguaria? Dá uma olhada nas minhas outras receitas de bacalhau!

Tortilha de batata

23 setembro, 2009 Comida espanhola, Petiscos Tags:, , , , 1 Comentário

Inspirado no livro Tapas – Os Criativos Petiscos Espanhóis em Versões Salgadas e Doces

Lá vai mais um tapa. Nada complexo. Você precisa é ter duas frigideiras e um pouco de coragem, senão não vai conseguir virar o omelete gigante. Os palitinhos parecem enfeite, mas são fundamentais para segurar as batatas no lugar, vale, tio?

5 batatas médias
1 cebola
5 ovos grandes
Sal a gosto
Óleo para fritar

rende 6 porções pequenas

Descasque as batatas e fatie em rodelas bem finas. Pique a cebola em quadradinhos. Aqueça o azeite, e frite a cebola um pouquinho. Depois, acrescente as batatas, e frite-as até que comecem a ficar macias. Acrescente uma pitada de sal.

Enquanto isso, bata os ovos, com um batedor (facilita bem). Acrescente um pouco de sal aqui também. Quando retirar as batatas com cebola, jogue-as no mesmo recipiente dos ovos, e acomode-as bem. Aqueça bem a frigideira, com uma boa quantidade de óleo, e despeje a mistura completa nela. Deixe fritar bem, e então aqueça uma outra frigideira no mesmo tamanho (eu avisei!). Posicionando uma frigideira em cima da outra, fica mais fácil virar tudo de uma vez, bem rápido, para que a sua tortilha tenha forma de tortilha e não de ovos mexidos!

Depois que estiver tudo bem fritinho, é só colocar num prato grande, e fatiar em quadrados, com cuidado para manter tudo no lugar. Aí é que entram os palitinhos…

Salada verde com batatas

29 abril, 2009 Saladas Tags:, , 0 Comentários

salada de folhas e batatas
Comi junto com Schnitzel com purê de maçã

Quando contei para a minha mãe como era feita essa salada, ela achou esquisito. Agora, fica pedindo pra fazer de novo. É que misturar folhas verdes e ervas com batata cozida e colocar tudo pra nadar num molho não soa a coisa mais apetitosa do mundo, mas é surpreendentemente bom. Só assusta quem não gosta de “comer coisa verde”.

500g de batatas cozidas e cortadas em cubos de +- 3cm
um punhado de folhas de alface americana, de rúcula e de menta, todas rasgadas
um punhado de folhinhas de funcho, picadas

Molho:
1 colher sopa de orégano
Suco de 2 laranjas
3 colheres sopa de vinagre de vinho branco
1 colher sopa de alcaparras sem sal
100ml de azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino

rende 4 porções

O grande lance é conseguir cozinhar as batatas de modo que fiquem bem cozidas, mas firmes. Eu prefiro jogá-las na água fervendo já com sal, durante uns 10-15 minutos, depois testar com um garfo. Se achar que está bom, tire uma e confira por dentro antes de tirar todas.

Para o molho, é legal usar laranjas bem maduras. E usar partes iguais de suco de laranja e de azeite. Se as alcaparras vierem em conserva, é importante escorrê-las para tirar o sal, senão elas roubam toda a graça da salada.

Fora isso, é só esperar as batatas esfriarem bem, cortá-las, juntar as folhas, e regar tudo com o molho logo antes de servir, para as folhas não perderem a textura. O ideal é que fiquem bem molhadas mesmo. É isso.

Switch to desktop version