tag: Cogumelos

Risoto de Funghi

4 maio, 2010 Comida italiana Tags:, , , 4 Comentários

Comi junto com filé com manteiga de ervas

No supermercado em que fui tinha funghi chileno e italiano. Escolhi o primeiro, confesso, por ser a metade do preço. Funghi vai bem com qualquer carne vermelha, ou quem sabe até com um salmão. O importante é combinar com uma carne que tenha personalidade, porque esse prato é bem temperamental. Ah, e se é seu primeiro risoto, leia antes esta outra receita, que é mais detalhada.

1 cebola bem picada
1 talo de salsão, picado
2 dentes de alho, picados
200g de arroz arbóreo ou carnaroli

1 tablete de caldo de legumes

100ml de vermouth ou vinho branco
50g de parmesão ralado fresco
1 colher de sopa de manteiga
100g de funghi secci
Algumas gotas de suco de limão
Azeite extra-virgem

Sal e pimenta do reino

dá pra 4 pessoas

Tudo começa lavando o nosso querido funghi e deixando-o de molho na água morna por 30 minutos, para que reidrate. Enquanto isso, siga o ritual do risoto, cebola, salsão, alho, arroz, vermouth ou vinho branco etc e tal. A diferença é que na primeira concha de caldo de legumes, você joga junto uma concha da água em que o funghi está de molho, só para ser ousado mesmo.

Quando o arroz estiver a uns 5 minutos do cozimento, junte o funghi, devidamente cortado em pedaços abocanháveis. Ele deve terminar de cozinhar junto com o arroz, e fazer amizade com ele durante esse pouco tempo. Vá nutrindo-os com o caldo de legumes, sempre que necessário. Eu não jogaria mais água do funghi, porque senão escurece demais o risoto, mas experimente como quiser.

Desligue o fogo, adicione a manteiga e o parmesão fresco, acerte o sal e pimenta do reino, misture bem e deixe descansar por uns 10 minutos, para os ingredientes se acalmarem. Finalize no prato com mais parmesão e algumas pouquíssimas gotas de limão (achei interessante esse detalhe no final do gosto). Como eu disse, o risoto tem personalidade…

Bisteca suína com cogumelos e vinagre balsâmico

31 março, 2010 Carnes Tags:, , , 4 Comentários

Comi junto com Batatinhas com alecrim e alho

Se você ainda não conhece o Cozinha Fácil, da Flávia Massara, meu amigo, minha amiga, você está perdendo tempo e tempero. Dessa vez resolvi me render às bistecas suínas dela (dela? bom você entendeu). É um corte espetacular, especialmente quando cortada alta, na hora, com você assistindo e tudo mais. Peça já para o seu açogueiro te fazer esse show particular. O meu único alerta fica para a redução de vinagre balsâmico, que eu errei! Deixei reduzir demais e quando esfriou ficou caramelo. Foi motivo de riso aqui em casa. Foi motivo não, fui motivo, ne?

2 bistecas suínas médias
1 bandeja de cogumelos diversos (escolhi champignons mesmo)
300ml de azeite balsâmico
1 colher sopa de manteiga
Suco de 1 limão
1 ramo de alecrim fresco
Azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino


rende 2 porções

Tempere as bistecas com sal e pimenta do reino, um pouco de suco de limão, um pouco de alecrim, e deixe descansar por meia hora. Enquanto isso, lave bem os cogumelos, pique, e doure-os na manteiga, com um bom punhado de folhas de alecrim, e algumas gotas de suco de limão, que vão dar um gostinho especial. Joguei um pouquinho de vinagre balsâmico também, vai? Só pra ver no que ia dar. Gosto de tirar os cogumelos não muito cozidos, porque perdem um pouco do sabor e da textura junto com a água que se vai.

Aqueça bem uma frigideira antiaderente com um pouco de azeite, e frite as bistecas, algo como 5 minutos de um lado e mais 3 minutos do outro lado. O segredo é, como sempre, selar a carne, prendendo o suco dentro, assim ela se conserva macia e molhadinha. Depois que selou, abaixe o fogo e deixe chegar ao ponto que você gosta.

Coloque o vinagre balsâmico para ferver, e deixe reduzir até 1/3 ou começar a encorpar. Não faça como eu, que deixou caramelizar – lembre-se que quando ele esfria, engrossa.

E é só isso! Se a sua redução de vinagre balsâmico deu certo, e eu espero que sim, use-a para decorar o prato! Faça uma oração para a Flavinha antes de comer.

Salmão com shitake e molho de mostarda e mel

16 março, 2010 Peixes Tags:, , , , 4 Comentários

salmão com shitake

Eu precisava comer alguma coisa que me fizesse sentir saudável. Então lá fui fazer um salmão… que é aquele peixe unanimidade né? Parece até que você correu na esteira de tão saúde quando come um. Cogumelos também sempre caem muito bem. E molho de mel e mostarda, então… hmmm. O lance é investir num bom filé de salmão, fresco e alto, faz toda a diferença do mundo! Ah, e se você não tinha um pincel de cozinha, chegou a hora de ter!

2 filés de salmão altos (+- 200g cada)
300g de cogumelos shitake (pode até fazer com outro)
1/2 cebola
1 colher sopa de molho shoyu
2 colheres sopa de mel
1 colher sopa de mostarda
1 colher sopa de manteiga sem sal
suco de 1 limão
Azeite extra-virgem
Sal e pimenta do reino
Alface americana para decorar

rende 2 porções

Primeiro, os cogumelos: pique-os em pedaços pequenos, assim como a cebola. Aquela um pouco de manteiga numa frigideira, com um pouquinho de azeite, e doure a cebola. Acrescente os cogumelos e em seguida o shoyu. Finalize com algumas gotas de suco de limão, e reserve.

Ao mesmo tempo que doura os cogumelos, remova a pele dos filés, se ainda a tiverem, e tempere-os dos dois lados com sal e pimenta do reino. Aqueça outra frigideira com um fio de azeite, que seja espaçosa, para os filés ficarem confortáveis! Faça o molho de mel e mostarda, misturando os ingredientes – aqui vale ir experimentando e ajustando – suco de limão, mel, mostarda, azeite e pimenta do reino. O azeite é quem vai pacificar a mistura e promover a união dos ingredientes, então não o despreze. Feito o seu molho lindo-maravilhoso, chega a hora mais secreta de todas: com um pincel, espalhe um pouco do molho dos dois lados do salmão, e coloque-o na frigideira super-quente, por 3 minutos. Vá pincelando insistentemente, sempre que perceber que a superfície do salmão absorveu o tempero. Vire-o, cozinhe por mais 3 minutos, sempre pincelando, e está pronto! O filé deve ficar levemente cozido no meio, super macio e suculento, desmanchando na boca. Se não ficou assim, tudo leva a crer que você cozinhou demais, com medo de ficar cru. Então vale a pena um dia tirar do fogo sabendo que está meio cru, afinal assim você aprende o outro lado da moeda, não é mesmo? E salmão fresco é gostoso de qualquer jeito.

Pique a alface americana em tiras, e decore o prato para a chegada do filé. Eu montei o filé por cima dos cogumelos, e mais algumas pinceladas de molho por cima de tudo, e por cima da alface também – que aliás ficou um ótimo side dish. O molho de mostarda e mel é uma sacanagem – dá vontade de beber.

Switch to desktop version