Salada Coleslaw

Essa tradicional salada americana vai muito bem com carnes vermelhas assadas, ou num churrasco, ou até num sanduíche. É refrescante e surpreendentemente bem aceita – muita gente que não come salada come coleslaw sob o pretexto de não ser uma salada.

1/4 de repolho verde
2 cenouras grandes
1 cebola
1 colher folhas de hortelã(menta) rasgadas
1/2 xícara de uvas passas brancas
3 colheres de maionese
suco de 1 limão

rende 6 porções

Bem, acho que duas coisas fazem uma boa coleslaw: textura e frescor. Por isso, é importante usar vegetais frescos e cortá-los perto da hora de servir. É importante cortar o repolho em tiras bem finas, ralar a cenoura inclinada para dar pedacinhos maiores, e fatiar a cebola também fina, cortada ao meio, e separando os anéis uns dos outros antes de misturar.

Jogue tudo numa tigela, acrescente o suco de limão, a maionese, as passas e misture bem… com as mãos! A maionese deve envolver os ingredientes, mas não fazer deles uma pasta. Adicione as folhinhas de menta, que vão dar aquele arzinho frio na boca, e um pouquinho de sal.

Experimente. Está muito azeda? Você consegue sentir todos os ingredientes? Compense as proporções com o seu senso de justiça. Sirva fria.

Variações que eu já vi da salada Coleslaw

Vale a pena dizer que eu já comi Coleslaw de vários tipos. Primeiro, sem passas. Depois, com repolho roxo. Com pepino misturado. Com picles decorando. Com iogurte ao invés de maionese. Com limão siciliano ao invés do limão normal. E por aí vai. O importante é não perder o espírito coleslaw de ser: crocância, frescor e ser molhadinha, pra acompanhar uma carne gorda como uma costela barbecue.